DIREITO ECONÔMICO
“Muitas marcas de bicicletas, peças e acessórios detêm o direito à distribuição exclusiva no Brasil, mas todas têm concorrência de outras marcas com produtos similares ou substituíveis, diferente da marca Shimano”

A Mix Bicicletas, distribuidora de Sarandi (PR), que fazia parte dos 7 distribuidores da Shimano, até janeiro de 2015, quando foi informada pela multinacional japonesa que não mais faria a distribuição de suas partes e peças, foi ouvida pela reportagem da Revista Bicycle. Renan Ferraro, diretor da distribuidora paranaense, falou com exclusividade sobre a decisão do Cade, que determinou a nulidade da constituição da Blue Cycle. Confira:

Revista Bicycle: Como a Mix Bicicletas ficou sabendo do processo no Cade?
Mix Bicicletas: Tivemos conhecimento do Procedimento Administrativo para Apuração de Ato de Concentração realizado pelo CADE no dia 02/08, quando a Mix foi notificada a responder questionamentos sobre o modelo de distribuição anterior à formação da Blue Cycle e consequências ao mercado devido o novo modelo de distribuição de produtos Shimano no Brasil.

Revista Bicycle: A Mix Bicicletas é proponente da ação?
Mix Bicicletas: Não. Pelo que pudemos constatar no processo, a denúncia partiu de um cliente que se sentiu prejudicado pelo novo modelo de distribuição dos produtos Shimano no Brasil, deixando o mercado refém da imposição da política comercial da nova distribuidora.

Revista Bicycle: Os atuais distribuidores, que constituíram a Blue Cycle, dizem que existem 110 marcas importadas no Brasil, e a maioria destas marcas é distribuída por um único distribuidor, e que por isso, não teria problema algum a constituição desta joint venture no modelo em que está. Você acredita que o mercado foi prejudicado por essa decisão da Shimano?
Mix Bicicletas: Com toda certeza foi muito prejudicial para toda a cadeia. Todos nós sabemos que a Shimano é uma líder de mercado no segmento de sistema de câmbios e transmissão para bicicletas, sem concorrente à altura no Brasil. Muitas marcas de bicicletas, peças e acessórios detêm o direito à distribuição exclusiva no Brasil, mas todas têm concorrência de outras marcas com produtos similares ou substituíveis, diferente da marca Shimano, que equipa a grande maioria das bicicletas de marcha do mercado brasileiro, gerando grande demanda por produtos de reposição.

Revista Bicycle: Vocês já foram notificados após a divulgação da nota do Cade a respeito dessa nova situação de nulidade da empresa?
Mix Bicicletas: Sim, recebemos uma notificação da Shimano comunicando a decisão do CADE pela nulidade do contrato de distribuição, conforme disposto no Processo Administrativo para Apuração do Ato de Concentração.

Revista Bicycle: Como ex-distribuidores e havendo a volta ao antigo regime, vocês então terão novamente a possibilidade de colocar pedidos na Shimano. Sua empresa está preparada para reviravolta na situação?
Mix Bicicletas: Sim, com certeza. Não tínhamos a intenção em rescindir o contrato de distribuição que iniciamos em 2006. Sempre tivemos uma estrutura completa para distribuição dos produtos Shimano e outros. Nossa equipe de trabalho está preparada para retomarmos o posicionamento de mercado em relação a Shimano, visando reduzir o descontentamento dos clientes em relação ao modelo de distribuição atual.

Revista Bicycle: Falando sobre a questão mercadológica de preço, negociação, de lotes, etc, o contrato anterior foi rompido e agora está havendo uma retomada judicial. Como vocês acreditam que vai ser o relacionamento com a Shimano nessa nova situação?
Mix Bicicletas: Ainda não podemos afirmar como será o relacionamento, mas esperamos que continue profissional como sempre foi. Sempre cumprimos o que nos foi determinado enquanto parceiro e distribuidor oficial da marca e em contrapartida havia respeito e profissionalismo por parte da SLA com a Mix. Acreditamos ser mais vantajoso para a Shimano garantir o Know how dos antigos distribuidores e a reativação dos antigos contratos de distribuição é a maneira mais rápida e eficiente para a distribuição dos produtos novamente ao mercado.

Revista Bicycle: Vocês acreditam que não haverá prejuízo em negociações ou favorecimento?
Mix Bicicletas: Esperamos que a Shimano seja ética, justa e respeite os antigos distribuidores sem discriminação ou favorecimentos, uma vez que foi a soma do trabalho de todos (SLA e distribuidores) que posicionou a marca no mercado brasileiro.

Revista Bicycle: Vocês têm mais alguma observação a fazer com relação a esta situação, aos seus clientes. Fiquem à vontade.
Mix Bicicletas: Sim. O mercado está apreensivo em relação a esta situação, pois após a divulgação do novo modelo de distribuição, sugestivo ao monopólio, gerou insegurança e revolta de lojistas que se sentiram reféns à política imposta, e temem pela continuidade de seus negócios. Recebemos reclamações de clientes relatando a indignação pelas dificuldades que estão enfrentando no momento atual, onde o Brasil já atravessava uma severa crise financeira e econômica e foi afetado por mais este novo fato. A Mix valoriza o trabalho do CADE que visa proteger os consumidores de modo geral e colabora com as investigações acreditando na melhor solução para o caso. O compromisso da Mix sempre foi oferecer produtos de qualidade valorizando os relacionamentos e a credibilidade com os clientes.

CONTEÚDO EXCLUSIVO P/ ASSINANTES
Digite seu login e senha e faça seu download

Login:   Senha:  
 

 

 

 

 

 

Veja também:
- Reviravolta no caso da criação da empresa Blue Cycle pela Shimano, Douek Participações e RR Participações
- Players ouvidos pela Bicycle se posicionam sobre a decisão do Cade
- "Acreditamos que eles (Shimano) se comportarão com o mesmo profissionalismo que tiveram antes da ruptura", Sílvia Lima

 

 
1997-2016 Editora Quatro Estações - Todos os Direitos Reservados