MOMENTO OLÍMPICO
Ciclismo tem o primeiro caso de doping entre brasileiros na Rio-2016
Kleber Ramos disputou o ciclismo de estrada, mas não completou a prova - Reprodução

Kleber Ramos, do ciclismo de estrada, é o primeiro caso de doping de um brasileiro que participou dos Jogos Olímpicos de 2016. Ele foi pego em um teste realizado pela Agência Mundial Antidoping, no dia 31 de julho. Ramos competiu na Olimpíada. Mas não terminou sua prova.
O Comitê Olímpico Brasileiro foi notificado e ainda aguarda uma definição final do Tribunal Arbitral dos Esportes para se pronunciar. O ciclista teria ingerido a substância conhecida como CERA, um agente estimulante.
Ele foi um dos 19 ciclistas que a União Internacional de Ciclismo acabou identificando como tendo ingerido substâncias ilegais. Além de Kleber Ramos, outros dois brasileiros fazem parte do grupo: Raphael Mesquita Mendes e Josemberg Montoya Nunes Pinho, que foram suspensos de competições. Eles, porém, não estiveram no Rio de Janeiro.

 

 

 

 

CBC cria Comitê de Ética e Integridade
Mais uma vez atenta ao constante debate sobre controle de dopagem, performance limpa e também promoção de valores universais do esporte, tais como respeito ao adversário, a Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) decidiu criar o Comitê de Ética e Integridade.

A medida viabiliza em todo território nacional a adoção de medidas de prevenção e sanções voltadas ao combate de Doping, Manipulação de Resultados (Match-Fixing), e também para infrações disciplinares, tais como racismo, homofobia, entre outras.

"Acreditamos que manter o ciclismo limpo e livre de fraudes é a obrigação de todos e a prevenção é a principal forma de fazer isso", ressalta Paulo Schmitt, presidente do Comitê de Ética e Integridade da CBC.

Fonte: CBC

 

CONTEÚDO EXCLUSIVO P/ ASSINANTES
Digite seu login e senha e faça seu download

Login:   Senha:  
 

 

 

 

 

 
1997-2016 Editora Quatro Estações - Todos os Direitos Reservados